domingo, 28 de novembro de 2010

Entrevista à RUC - FM 94,3 - Maringá, PR.

video

[Resumo da entrevista ao Programa Agrocultura, comandado por Emílio Barbosa, na Rádio Universitária do Cesumar (RUC), em 27 de novembro de 2010]

sábado, 20 de novembro de 2010

Um Dia Especial

video

Meio desta semana, meu sobrinho ligou 'convocando' para uma peixada lá em Londrina. Mesmo que fosse apenas para ir lá ver as meninas, os meninos e minha 'mãe' eu já aceitaria! Para comer uma tainha deliciosa então..

Fomos eu, Thiago e Fá. Hoje, mais uma vez, tive um sábado maravilhoso!

Como um tio típicamente 'coruja', vi que Albinha, Aninha, Ângelo estão bem, lutando pela e com a Vida e ganhando as batalhas do dia-a-dia. Como tio-avô 'abobado' e extremamente satisfeito, senti que Pablo, Gabriel e o pequeno e esperto Caio estão crescendo, rápido, íntegros e integralmente sadios e felizes. Meus sobrinhos estão fazendo um trabalho maravilhoso!!

Vi minha 'segunda mãe'! Minha irmã, duplamente madrinha, madrinha de meu filho. Neide. Minha mais que irmã.. verdadeiramente, minha 'segunda mãe', minha mãe que me restou aqui na Terra!

E como está bem! Como fiquei feliz em ver, sentir, que está bem, linda, saudável! Que bom ter a chance de poder sentir a Família perto da gente! Como é bom ver minha Família bem, e minha 'mãe' tão bem, tão linda, tão cheia de Vida!

É claro que hoje foi um dia muito especial!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

ICMBio participa do Dia do Policial Federal

A Polícia Federal (PF), em Maringá, Paraná, realizou, nesta manhã, solenidade cívica de hasteamento de bandeiras, como parte da comemoração do Dia do Policial Federal e Dia da Bandeira do Brasil.
Durante o evento foi lida a mensagem do senhor Diretor Geral da Polícia Federal alusiva a data e o Comandante do 30º Batalhão de Infantaria Motorizada do Exército Brasileiro, com sede em Apucarana, discursou sobre a história e importância do pavilhão nacional.
Dr. Donizete Tanbani, Delegado Chefe da Delegacia de Polícia Federal de Maringá, e o Sr. Sílvio Barros II, Prefeito do Município de Maringá, fizeram uso da palavra, ressaltando a importância e dedicação do trabalho da PF na região e em todo o País, destacando o respeito que os policiais federais tem de toda a Sociedade.
DIA DO POLICIAL FEDERAL - Instituído por meio do Decreto nº 5.279, de 22 de novembro de 2004, a data foi definida após estudos realizados por um Grupo de Trabalho que concluiu que a criação do Departamento Federal de Segurança Pública, em 28 de março, seria a data de aniversário da Corporação, pois a PF é oriunda desse extinto órgão. Com a alteração do aniversário da Polícia Federal, para 28 de março, o dia 16 de novembro foi oficializado como sendo o Dia do Policial Federal.
DIA DA BANDEIRA - O Dia da Bandeira foi criado no ano de 1889, através do Decreto-Lei número 4, em homenagem a este símbolo máximo da pátria. Como nossa bandeira foi instituída quatro dias após a Proclamação da República, comemoramos em 19 de novembro o Dia da Bandeira.
O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), representado pelo chefe da Reserva Biológica (Rebio) das Perobas, Carlos Alberto De Giovanni, se fez presente a solenidade, onde a Banda do 30º Batalhão Infantaria Motorizada abrilhantou com a execução dos hinos nacional e da bandeira.
A cerimônia contou com a presença de magistrados federais, delegados e policiais federais da DPF-Maringá e diversas outras autoridades civis e militares do município, e se iniciou com um delicioso café da manhã.
Aos valorosos Policiais Federais nosso caloroso "Parabéns pelo seu dia!", com a certeza de que o trabalho por vocês realizado muito dignifica nossa Nação e, em particular, muito apoia e engrandece o trabalho que o ICMBio realiza na Rebio das Perobas.

ICMBio em Foco N. 123

Parcerias reforçam proteção do Parque Nacional do Iguaçu

(do blog do Pegoraro) A parceria entre o Governo do Paraná e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) tem sido fundamental para fortalecer as ações de proteção do Parque Nacional do Iguaçu (PNI) e, principalmente, das áreas localizadas no entorno. O parque possui 185 mil hectares de mata preservada e abrange 16 municípios paranaenses.
O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Jorge Augusto Callado Afonso, reuniu-se nesta quinta-feira (18), em Foz do Iguaçu, com o chefe do Parque Nacional, Jorge Luiz Pegoraro e visitou a sede da 4ª Companhia de Polícia Ambiental/ Força Verde instalada no interior do Parque.
O presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Volnei Bisognin, e o presidente do Instituto das Águas do Paraná, João Leach Samek, também participaram da visita. O IAP, ICMBio e a Polícia Militar Ambiental (Força Verde) promovem ações de fiscalização ambiental no entorno do Parque e atuam juntos no monitoramento e licenciamento de empreendimentos que possam causar qualquer tipo de dano aos recursos naturais da região.
“A nossa gestão é conjunta e o trabalho realizado no Parque consolida a visão do Governo do Estado de que os projetos de sustentabilidade não funcionam sem boas parcerias”, declarou o secretário.
QUALIDADE DA ÁGUA – Uma das iniciativas apresentadas foi o projeto de análise da qualidade ambiental das águas dos rios localizados no Parque Nacional, denominado ‘aquaIGUAÇU’.
Dentro do parque, passam 80 quilômetros do rio Iguaçu e outros 20 quilômetros de rios afluentes como os rios Floriano, Silva Jardim e Índio. “O Instituto Chico Mendes realiza um trabalho que complementa o trabalho do IAP e do Instituto das Águas e também serve como comparativo para tomada de decisões”, destacou o secretário Jorge Callado.
Implantado em 2005, o Programa aquaIGUAÇU, com seu laboratório de monitoramento da qualidade da água, funciona nas dependências da Escola de Educação Ambiental do Parque (Escola Parque). O programa faz, também, o levantamento da flora do rio Iguaçu e rio São João, monitorando mensalmente a qualidade da água no interior do Parque. Entre os parâmetros avaliados estão índices de pH, materiais sedimentáveis, fosfato, nitrato, temperatura e oxigênio dissolvido.
“São rios que partem da BR-277, cortam os municípios e desembocam no Iguaçu e nas Cataratas. Então, é importante esta interação para ações efetivas de educação ambiental em todo o Paraná”, afirmou Jorge Pegoraro. Ele explica que os resultados do monitoramento comprovam que a água que chega ao Parque, em grande parte, vem poluída pelas cidades.
“O Parque faz uma depuração da água no trecho em que ela corta a Unidade de Conservação, mas vale lembrar que a participação da população é fundamental para que as águas entrem na área do Parque com uma qualidade melhor”, destaca Jorge Pegoraro.
FISCALIZAÇÃO – A Força Verde atua diariamente no combate aos crimes ambientais no Parque Nacional e entorno. São 35 policiais que integram a 4ª Companhia de Polícia Ambiental - localizada no interior do Parque.
Entre as principais infrações estão a caça ilegal, o corte de palmito, extração de areia e argila, invasões de Áreas de Preservação Permanente (APP) e, principalmente, a pesca predatória.
O tenente Marcos Paluch conta que o esforço da Companhia está voltado para atender a todas as denúncias recebidas através do telefone da Força Verde: 0800-643 0304.
Uma das maiores demandas da Companhia é a pesca predatória praticada durante a Piracema - período de reprodução dos peixes - que acontece entre os meses de outubro a fevereiro. No ano de 2009/2010 a Força Verde registrou 107 ocorrências de pesca ilegal no rio Iguaçu e rios com afluência direta ao reservatório de Itaipu.
“Durante este período também fica proibida a captura, transporte e armazenamento de espécies nativas, inclusive para fins ornamentais e a utilização de qualquer animal como isca, incluindo peixes e pesca subaquática”, explica o presidente do IAP, Volnei Bisognin. Ele faz um alerta para turistas que, para fugir da legislação brasileira, praticam a pesca no Paraguai e Argentina. “O produto da pesca oriundo de locais com o período de defeso diferenciado, ou de outros países, deverá estar acompanhado de comprovante de origem, sob pena de apreensão do pescado e dos equipamentos utilizados na pesca”, finaliza Volnei.

domingo, 14 de novembro de 2010

Assim é a Vida!

Aos 2 anos sucesso é: conseguir andar. Aos 4 anos sucesso é: não fazer xixi nas calças. Aos 12 anos sucesso é: ter amigos. Aos 18 anos sucesso é: ter carteira de motorista. Aos 20 anos sucesso é: fazer sexo. Aos 35 anos sucesso é: dinheiro. Aos 50 anos sucesso é: dinheiro. Aos 60 anos sucesso é: fazer sexo. Aos 70 anos sucesso é: ter carteira de motorista. Aos 75 anos sucesso é: ter amigos. Aos 80 anos sucesso é: não fazer xixi nas calças. Aos 90 anos . sucesso é: conseguir andar. Asim é a Vida...
"Não levamos nada dessa Vida... Para que perder tempo com maldade, com falsidade, com falta de amor? Todos teremos o mesmo destino, independentemente da condição financeira, da classe social... Portanto, ame, brinque, perdoe e aproveite a Vida! Seja Feliz!"

sábado, 13 de novembro de 2010

sábado, 6 de novembro de 2010

Cansaço

Mamíferos não voadores da Rebio

GEEMEA realiza pesquisa sobre os mamíferos não voadores da Reserva Biológica das Perobas
Os mamíferos representam um grupo de grande importância à manutenção da diversidade e dos processos biológicos em ecossistemas naturais em termos de predação, dispersão de sementes, polinização entre outros. A Reserva Biológica das Perobas (Rebio das Perobas) representa um dos últimos refúgios para a fauna associada à Floresta Estacional Semidecidual do noroeste do Estado. Acredita-se que muitas das espécies de mamíferos anteriormente existentes na região estejam extintas ou à beira de extinção. Diante a escassez de estudos sobre o grupo no noroeste do Paraná, alunos do terceiro ano do curso de Ciências Biológicas da Unipar de Cianorte, Vagner Carlos Canuto, Rosenildo Simões de Andrade e Jonatan Wiliam Silva Soares, iniciaram em junho deste ano, sob a orientação do prof. Dr. Henrique Ortêncio Filho, coordenador do GEEMEA (Grupo de Estudos em Ecologia de Mamíferos e Educação) da Universidade Estadual de Maringá, Campus de Goioerê, o projeto “Mamíferos Não Voadores da Reserva Biológica das Perobas, Paraná”. As coletas, iniciadas em junho deste ano, vêm ocorrendo quinzenalmente em vários pontos na área com o auxílio de armadilhas do tipo pitfall e sherman, além de armadilhas fotográficas e terão um ano de duração. As informações obtidas com a pesquisa serão utilizadas como parte dos dados para a elaboração do Plano de Manejo da Unidade de Conservação, ou seja, o documento que regerá as diretrizes para o manejo da reserva. Poucos roedores e marsupiais foram capturados até o momento, entretanto, em função do marcante período seco, que ocorreu de junho a setembro, foi constatado o deslocamento de vários espécimes da fauna selvagem da reserva ao longo das trilhas na mata, registrando-se: antas, jaguatiricas, gatos mouriscos e pumas. O GEEMEA, composto por docentes pesquisadores, biólogos e alunos de graduação e pós-graduação, já realizou estudos na área sobre outro grupo de mamíferos: os morcegos. Entre os trabalhos foram abordados: os efeitos do desmatamento sobre a riqueza de espécies de morcegos, diversidade de ectoparasitas desses animais e parasitas sanguíneos de morcegos filostomídeos. Novos projetos terão início no mês de novembro na unidade de conservação. Os trabalhos, agora, terão como foco os morcegos oriundos de abrigos urbanos no entorno da Rebio das Perobas. Serão realizados projetos sobre diversidade, aspectos reprodutivos, ectoparasitismo e a relação entre os morcegos, os bichos-barbeiros e a doença de Chagas. Em 2011, com o início das atividades da II turma da Pós-Graduação em Biologia de Animais Selvagens da UNIPAR de Cianorte, outras pesquisas serão direcionadas à unidade de conservação, de modo a enriquecer as informações sobre os diversos aspectos ecológicos dos mamíferos de nossa região. (Texto: Prof.Dr. Henrique Ortêncio Filho)

Pesquisa na Rebio é Premiada

A Diretoria de Pesquisa do Centro Universitário de Maringá (Cesumar) realizou nesta sexta-feira (5) a entrega dos prêmios aos autores dos melhores trabalhos apresentados na V Mostra Interna de Trabalhos de Iniciação Científica.
O evento aconteceu entre 26 e 28 de outubro e contou com a apresentação de 267 trabalhos científicos ligados ao Programa de Iniciação Científica do Cesumar (PICC) e ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Cesumar-CNPq.
A cerimônia de entrega dos prêmios aconteceu na Reitoria e teve a presença da diretora de Pesquisa, Ludhiana Bertoncello, do pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão, Flávio Bortolozzi e dos membros da Comissão Científica do evento.
Os acadêmicos receberam o prêmio no valor de R$ 300 cada um e os orientadores também receberam valor equivalente à bolsa de iniciação científica.
Willian Menq, com sua pesquisa com aves de rapina na Rebio das Perobas foi premiado como a melhor pesquisa do ano!
"Isso mostra o quão relevante é os dados obtidos na Reserva Biológica das Perobas e o quanto ela é importante para a preservação da biodiversidade da região", afirmou Menq.
Área de Ciências da Vida Acadêmico: WILLIAN MENQ DOS SANTOS (CIÊNCIAS BIOLÓGICAS) Orientador: ROSILENE LUCIANA DELARIVA Trabalho: COMPOSIÇÃO E ABUNDÂNCIA DAS AVES DE RAPINA DIURNAS (FALCONIFORMES E CATHARTIFORMES) DA RESERVA BIOLÓGICA DAS PEROBAS (PARANÁ)